Estabelecimentos Escolares do AEF  

   

Oferta Formativa  

   

Comunicação  

   

Serviços  

   

ENSINO SUPERIOR  

   

Provas finais e exames nacionais 2016  

   
7.png0.png1.png9.png4.png7.png
Today44
Yesterday183
This week899
This month3019
Total701947


   
  • Enquadramento
  • Modelo/Estrutura CAF
  • Processo
  • Resultados/Melhorias

 

Com o objetivo de implementar práticas de autorregulação internas e consequente melhoria nos domínios: Resultados, Prestação do serviço educativo e Liderança e gestão, a Escola Secundária do Fundão tem-se envolvido, desde 1991, em alguns programas e projetos de avaliação interna (Observatório da qualidade das escolas; PEPT 2000; projeto piloto europeu de avaliação da qualidade na educação escolar, projeto qualidade XXI). Em 2007/2008 implementou o modelo CAF, generalizando-o, em 2012, ao Agrupamento de Escolas do Fundão.


 

 

O modelo CAF (Common Assessment Framework) que em português recebeu o nome de Estrutura Comum de Avaliação é uma ferramenta da Gestão da Qualidade Total inspirada no Modelo de Excelência da Fundação Europeia para a Gestão da Qualidade (European Foundation for Quality Management ou EFQM) e no modelo da Speyer, Universidade Alemã de Ciências Administrativas.

Segundo este modelo, a autoavaliação é orientada por dois tipos de critérios: os critérios dos Meios e os critérios dos Resultados, correspondentes aos aspetos principais do funcionamento e do desempenho da Escola:

·       Critério de Meios – critérios que se reportam ao que a Escola faz e à forma como realiza as suas atividades para obter os resultados desejados.

·        Critérios de Resultados – medem as perceções, ou seja, o que os colaboradores, cidadãos/clientes e sociedade pensam da organização.

 Na figura seguinte representa-se a estrutura do modelo CAF em que se identificam os nove critérios agrupados por Meios (5 critérios) e Resultados (4 critérios), que a Escola deve ter em conta na avaliação:

 

A implementação duma autoavaliação com base no modelo CAF engloba 3 fases compostas por 10 passos.

FASE 1

O INÍCIO DA CAMINHADA CAF

1º Passo

Decidir como organizar e planear a autoavaliação

2º Passo

Divulgar o projeto de autoavaliação

FASE 2

O PROCESSO DE AUTOAVALAIAÇÃO

3º Passo

Criar uma ou mais equipas de autoavaliação

4º Passo

Organizar a formação

5º Passo

Realizar a autoavaliação

6º Passo

Elaborar um relatório que descreva os resultados da autoavaliação

FASE 3

PLANO DE MELHORIAS/PRIORITIZAÇÃO

7º Passo

Elaborar o plano de melhorias

8º Passo

Divulgar o plano de melhorias

9º Passo

Implementar o plano de melhorias

10º Passo

Planear a autoavaliação seguinte

 

Este modelo deve ser desenvolvido em conjugação com um ciclo (PDCA) Plan (Planear) - Do (Executar) - Check (Rever) - Act (Ajustar).

 

Utilizou-se uma metodologia de autoavaliação com a participação das partes interessadas das Escolas, nomeadamente Pessoal Docente e Não Docente, Alunos e Encarregados de Educação, o que permitiu uma reflexão profunda daquilo que a Escola é e quer ser, a definição de objetivos de melhoria sustentada, a escolha das estratégias mais adequadas e a revisão dos processos de trabalho.

 

Ainda que o modelo preveja a avaliação simultânea de meios e de resultados, a Escola, na sequência da avaliação externa, decidiu criar uma equipa que iniciasse o processo ao nível dos resultados prosseguindo, numa fase subsequente, após a aplicação do plano de melhorias, com a avaliação dos critérios dos meios. O primeiro ciclo de avaliação concluiu-se com a implementação/avaliação do respetivo plano de melhorias.

 

O Agrupamento de Escolas do Fundão iniciou, em 2014/2015, um novo ciclo de autoavaliação, avaliando meios e resultados. 

 

Oferta alargada de apoio pedagógico na biblioteca, melhoria na organização do atendimento no bufete e refeitório, maior controlo nas entradas e saídas dos alunos, reforço de práticas de trabalho colaborativo, envolvimento dos colaboradores na construção de documentos estruturantes, aprofundamento de mecanismos de reconhecimento, estímulo e valorização do trabalho desenvolvido, aumento da coerência do PAA, explicitação dos critérios de distribuição de serviço para docentes e não docentes, envolvimento dos pais/encarregados de educação e alunos nas atividades, melhoria da qualidade da informação, melhoria no atendimento aos encarregados de educação/pais, melhorias na mobilidade dentro do espaço escolar são alguns dos resultados obtidos.

Tem havido vários fatores de sucesso e alguns constrangimentos, mas tem-se sabido transformar estes constrangimentos em oportunidades e o sucesso académico e emocional dos alunos têm sido as prioridades de todos os que trabalham neste agrupamento.

 

Mais informações – plataforma Moodle do Agrupamento

 

   
   
   

Manuais Escolares 2017/2018  

   

Conteúdos e Critérios de Avaliação 2016/17